Search

Parque Rocha Moutonnée e outros passeios em Salto (SP)

Conteúdo atualizado em 12 de abril de 2024

Localizada a 100 km da capital paulista, a pequena cidade de Salto tem algumas atrações muito bacanas. Pela distância, é boa opção de bate-e-volta ou para passar um fim de semana na região, combinando com passeios em Itu ou Indaiatuba. Ah! E todos os lugares dos quais falaremos aqui têm entrada gratuita e podem ser combinados num mesmo dia, pois são bem pertinho uns dos outros.


Se for alugar um carro para passear pelo interior de São Paulo, clique no link abaixo e faça uma cotação no nosso parceiro Rentcars!


Parque Rocha Moutonnée

Conhecido como “parque dos dinossauros” após a recente reforma, o Parque Rocha Moutonnée já era bastante antigo na cidade e um programa muito bacana, além de já possuir algumas réplicas de dinossauros. Ele passou por uma extensa revitalização que durou alguns anos e foi reaberto em 2023, com novas réplicas de dinossauros e a temática “A História do Mundo contada a céu aberto”.

Mas afinal, o que é a tal Rocha Moutonnée que dá nome ao parque? Trata-se de um paredão de granito róseo, formado há cerca de 600 milhões de anos, cujas ranhuras atestam a passagem das eras glaciais, causada pelo deslocamento de grandes geleiras do Sudeste para o Noroeste, que poliram sua superfície com detritos. O nome vem do termo francês “mouton” e significa “acarneirado”, pois a rocha lembra vagamente um carneiro, e segundo os geólogos, só existe no mundo uma outra formação rochosa igual, localizada na Austrália.

A descoberta da Rocha Moutonnée em Salto foi feita pelo geólogo Marger Gutmans em 1946, mas seu tombamento pelo CONDEPHAAT ocorreu somente em 1990, após anos de extração de pedras da rocha original, que foram usadas principalmente no calçamento de ruas.

O roteiro no parque começa com um vídeo sobre o surgimento do mundo e sua evolução, e na sequência os visitantes começam a trilha que leva à Rocha Moutonnée.

Depois de passar por ela tem início o Território dos Dinossauros, onde ficam as réplicas – alguns se mexem e fazem sons, agradando em cheio as crianças. Há também um lago onde (supostamente) fica um plesiossauro, um dinossauro aquático. E o ponto alto e cartão postal do parque é o braquiossauro de 18 m de altura, a maior réplica de dinossauro da América Latina.

No final da trilha fica um painel ilustrando a evolução da espécie humana e a Caverna dos Hominídeos, que rende fotos muito engraçadas.

A entrada no Parque Rocha Moutonnée é gratuita, assim como o estacionamento. O parque conta também com lanchonete, uma lojinha e playground. Para mais informações sobre localização, horários de funcionamento e regras do parque, vale acessar a página da prefeitura PARQUE DA ROCHA MOUTONNÉE e também o perfil no Instagram @parquerochamoutonnesalto.

>> Confira um pouco mais da nossa visita ao Parque Rocha Moutonnée nessa postagem do Instagram:

Outros passeios em Salto

Mirante da Ponte Estaiada

Salto também tem uma ponte estaiada para chamar de sua, que fica localizada em uma das entradas da cidade e bem próxima ao Parque Rocha Moutonnée. Ao lado da ponte há um mirante panorâmico bem bacana, que permite uma visão bonita do rio Tietê e do entorno. Dá até pra ver o braquiossauro lá do parque!

Mirante da Ponte Estaiada de Salto

O acesso se dá por essa passarela lateral, e um elevador sobe o equivalente a 12 andares até o topo. Além da vista 360o, lá em cima também há telescópios que permitem ver com mais detalhes alguns pontos da cidade.

A entrada é gratuita e o horário de funcionamento é das 8h30 às 16h30, podendo variar de acordo com os eventos na cidade – vale consultar o site da Prefeitura de Salto para mais informações.

Museu da Cidade de Salto

A cidade de Salto tem uma forte influência dos imigrantes italianos que se instalaram por ali no início do século XX. E o Museu da Cidade de Salto, instalado num antigo conjunto de prédios de 1903, conta um pouco dessa história, assim como de outras influências que resultaram na cidade como é hoje.

O acervo tem um pouco de tudo: fotos, documentos e objetos dos imigrantes italianos (inclusive é possível pesquisar os registros antigos), uma réplica de uma casa de taipa com explicações da vida dos escravizados que vieram trabalhar nas fazendas da região e toda a herança cultural que eles e seus descendentes deixaram ali, painéis explicativos de algumas das tradições da cidade, e muitas informações sobre as tribos indígenas que habitaram a região, a fundação da cidade e a polêmica troca de nome, de “Salto de Itu” para apenas Salto.

Como um dos prédios do complexo foi um cinema, há também objetos antigos da época: uma antiga máquina de exibição de filmes, as poltronas de madeira e uma porção de cartazes de filmes antigos que foram exibidos ali.

A entrada para o museu também é gratuita e mais informações podem ser consultadas na página da Prefeitura Museu da Cidade Ettore Liberalesso.

Complexo da Cachoeira e Ilha da Usina

Localizado nos fundos de uma antiga fábrica têxtil e tendo como cenário a queda d’água que dá nome à cidade (Cachoeira do Salto Grande), o Complexo da Cachoeira combina um pouco de História e natureza. Atravessando a ponte pênsil chega-se a um espaço com muitas referências à história e a personagens famosos na cidade.

E mais adiante, uma outra ponte leva à Ilha da Usina, cujo nome refere-se à Usina Hidrelétrica de Porto Góes, construída na década de 1920, hoje ainda em funcionamento mas sob administração da EMAE. A ilha formada pelo canal de descarga da usina era fechada a visitantes até recentemente, quando foi erguida a ponte e criado um parque que se compõe de cerca de 200 metros de passarelas suspensas sobre a mata, finalizando num auditório. Ao longo do caminho há muitas placas explicativas da fauna e flora da ilha, além de muitos macaquinhos que interagem com os visitantes.

Mais sobre Salto e outras dicas da região


Reserve sua hospedagem em Salto e região pelo Booking

Booking.com

Encontre excursões e passeios guiados no estado de São Paulo pela Civitatis

O que vai fazer no Estado de São Paulo?

Salve essa imagem no seu Pinterest

Gostou? Compartilhe!

Planeje sua viagem!

Utilizando os links dos nossos parceiros abaixo, você não paga nada a mais e nos ajuda a continuar produzindo conteúdo bacana e atualizado.

Search

Quem Somos

Somos uma família de 4: eu, Cíntia, engenheira de formação mas que sempre gostei de escrever e viajar; marido, que me acompanha nas viagens desde 2009; e nossos dois malinhas, Letícia e Felipe, atualmente com 14 e 11 anos, que carregamos por todos os lugares desde que ainda estavam na minha barriga.

Fazemos Parte

Siga no Facebook

Siga no Pinterest

Siga no Instagram

Reserve sua hospedagem

Booking.com

Vá de carro

Viaje de ônibus

Reserve tours guiados e transfers

Não viaje sem seguro

Seguro Viagem Geral 2

Ofertas aqui

Compre livros e muito mais

Posts Recentes

Livros para refletir sobre o racismo

No mês da Consciência Negra, alguns livros para refletir sobre o racismo, suas origens e consequências, em tempos e países diversos.

Como é o Olival em Cunha

Como é a visita a um dos lugares mais bonitos de Cunha: o Olival, na serra entre Cunha e Paraty.

Continue entre Mochilas e Malinhas

5 respostas

  1. Que gracinha que é Salto! Não ouvi muita coisa sobre sua cidade natal, mas pelo seu post deu pra perceber que um passeio por lá deve ser bem gostoso. Se eu fico alucinada com réplicas de dinossauros, imagino as crianças rs

  2. O parque de dinossauros me fez lembrar um em Portugal (Dinoparque)
    Parece uma cidade simpática de visitar, gostei das pontes. Suas viagens dão sempre ótimas sugestões a quem vai com crianças.

  3. Adorei a sua lista de passeios em Saltos e o Parque Rocha Moutonnée parece bem divertido. Aqui em Portugal temos o Dino Parque que me parece ser bem parecido com esse.

  4. Que legal o parque Rocha Moutone. Amei esse “vale dos dinossauros” e achei muito interessante a história do nome do parque. Só é possível ver a rocha de longe? Não podemos tocar?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *