Search

Galeria do Rock: ponto de encontro dos roqueiros em São Paulo

Conteúdo atualizado em 17 de fevereiro de 2024

Vai passear por São Paulo e é fã de rock? Pois inclua no seu roteiro algumas horas pela Galeria do Rock! Muito mais que um centro comercial, a Galeria do Rock, localizada no centro da capital, é um ponto turístico, atraindo não só quem gosta de rock mas também quem curte cultura pop e esportes como skate e basquete. Nos seus quatro andares é possível encontrar de tudo um pouco: camisetas de bandas, filmes e séries; pôsteres, discos de vinil e CDs; instrumentos musicais; estúdios de tatuagem e piercing; fantasias e máscaras; artigos esotéricos; tênis e artigos de skate e basquete.

Vem conhecer com a gente um pouco mais desse lugar que é a cara de São Paulo!

nossos malinhas em uma das lojas da Galeria do Rock

Onde fica a Galeria do Rock

A Galeria do Rock fica localizada num prédio comercial no centro da cidade de São Paulo, entre a Rua 24 de maio e a famosa Avenida São João. Como referência, a entrada principal fica em frente ao Largo do Paissandu.

Vale avisar que essa é uma região bastante conhecida pelos assaltos e pela quantidade de usuários de drogas, mas o objetivo aqui não é assustar ninguém. Assim como em outros lugares no mundo, a dica é ficar esperto com seus pertences, não ficar dando mole com celular, carteira e bolsa, não usar acessórios chamativos, não andar sozinho após o anoitecer nem em ruas mais desertas. Nas últimas vezes em que estivemos lá (a mais recente em janeiro/24) vimos muito policiamento, com viaturas e policiais espalhados pelas ruas e praças principais, o que dava uma certa tranquilidade.

E sempre é bom lembrar que há muitos outros passeios bacanas no centro de São Paulo, como o Farol Santander, o Mosteiro de São Bento e o Theatro Municipal, que ficam ali bem pertinho da Galeria do Rock e podem ser uma boa combinação para quem quiser fazer um roteiro completo por essa região.

Confira abaixo algumas outras sugestões de passeios em São Paulo, pelo nosso parceiro Civitatis.

História da Galeria do Rock

Inaugurado em 1963, o estiloso prédio que chamamos hoje de Galeria do Rock mas cujo nome verdadeiro é Centro Comercial Grandes Galerias, começou como um centro comercial voltado para o mercado têxtil. Em seus primeiros anos, havia mais de 100 alfaiates locados ali, além de lojas de serigrafia e assistência técnica a equipamentos usados nesse mercado. Mas na década seguinte, com o surgimento dos primeiros shopping centers em outros bairros mais nobres da capital, a maioria dos lojistas se mudou e o prédio ficou praticamente abandonado. Não por coincidência, esse foi também o período em que o centro de São Paulo entrou em decadência, deixando de ser referência cultural e financeira.

Foi só na década de 80, quando começaram a pipocar as primeiras lojas de discos e o rock nacional tomou conta do Brasil, que a galeria encontrou sua verdadeira vocação: virou Galeria do Rock, com a instalação de várias lojas voltadas para esse público (algumas existem até hoje, como a Baratos Afins). Virou ponto de encontro de toda uma comunidade, que até então ainda não tinha um local próprio.

Atualmente, a Galeria do Rock possui mais de 450 lojas, distribuídas em quatro andares, a maioria voltada ao público que gosta de música em geral e rock em especial (discos, camisetas, instrumentos musicais, estúdios de tatuagem) – se é uma raridade que você procura, com certeza ali irá encontrar. Além das lojas, eventualmente acontecem shows no mezanino do prédio, onde bandas locais e internacionais se apresentam. Estima-se que passam por lá mais de 25 mil pessoas por dia, chegando a 35 mil em feriados e finais de semana. Não há dúvidas que é mesmo um ponto turístico!

fachada da Galeria do Rock

O que fazer na Galeria do Rock

Quem nos acompanha aqui no blog e nas redes sociais sabe que somos uma família que ama rock – com variações de estilo entre os membros da família, mas todos unânimes em concordar que esse é mesmo o melhor gênero musical rsrs Tanto que esse amor já passou de pais para filhos e nossa malinha mais velha, agora adolescente, é do tipo fã roqueira-raiz, que ama camisetas pretas com estampa de banda e decorou o quarto todo com pôsteres de seus ídolos. E para completar, ao invés de festa ela pediu para passar o dia do seu aniversário de 14 anos na Galeria do Rock, só comprando coisas para completar suas coleções. Foi a nossa terceira vez passeando por lá, por isso conseguimos conhecer bem todas as lojas.

Aliás, essa é uma das coisas mais legais de se fazer por lá: perambular de loja em loja, conferindo as camisetas e roupas (há uma variedade gigante de opções!), vendo as coleções de vinis e CDs, admirando e tirando fotos dos pôsteres espalhados nas lojas e nos corredores, conferindo os desenhos das tatuagens nas vitrines. E para dar um respiro, uma paradinha nas sacadas, de onde têm-se uma vista panorâmica do Largo do Paissandu e do centro antigo.

Para os fãs do Iron Maiden e do Kiss, há lojas que vendem só produtos licenciados dessas bandas – nossa filha é fã incondicional do Kiss e amou a loja, que tem fotos e réplicas dos integrantes. A loja do Iron Maiden fica no primeiro piso, e do Kiss no segundo piso.

Outras lojas bacanas de camisetas são a Consulado do Rock e a Stamp Rockwear, que têm uma variedade grande de estampas de rock nacional e internacional.

Saudosistas dos anos 80 (como nós rsrs) vão amar as lojas de vinil, como a já citada Baratos Afins e a London Calling – aliás, nessa última, há muitas fotos expostas nas paredes, todas dos donos da loja com vários ídolos do rock (não vou negar que ficamos com uma invejinha). E vale dar uma passadinha na Aqualung Records, outra loja bem antiga que, além de vinis e CDs, tem uma ótima seleção de pôsteres de filmes e séries (nós achamos dois pôsteres bem bacanas, meio vintage, das franquias Jurassic Park e Godzilla).

Com sorte, dá para topar com algum ídolo nacional – nós encontramos com o Lobão nos corredores, que foi super simpático e tirou foto conosco.

nós com o Lobão

Dá pra levar as crianças na Galeria do Rock?

Com certeza! Não é um programa muito convencional, mas em todas as ocasiões em que estivemos na Galeria do Rock vimos muitas famílias, algumas com crianças menores que as nossas, passeando e fazendo compras. Como dito acima, pais que curtem rock e a cultura roqueira (como nós) certamente vão querer passar esse legado para a próxima geração.

Como chegar na Galeria do Rock

Para quem mora em São Paulo, está hospedado próximo a alguma estação de metrô ou vai para SP de ônibus, o melhor meio de chegar é usando o metrô, pois a Galeria do Rock fica entre as estações República e São Bento.

Como não moramos em SP, sempre vamos de carro e estacionamos num estacionamento que fica quase na esquina da Galeria do Rock. Dessa última vez (janeiro/2024), pagamos R$ 25 para deixar o carro o dia todo. Há vários estacionamentos nas redondezas, inclusive um da própria galeria, mas não chegamos a pesquisar os preços.


Se for alugar um carro para fazer essa viagem, faça uma cotação com nosso parceiro Rentcars.


Mais informações sobre localização, estacionamento, horários de funcionamento, agenda de eventos e outros, o melhor é consultar o perfil do instagram @galeriadorockoficial. Uma notícia recente que soubemos foi que a Galeria do Rock pretende ter uma agenda bem movimentada de eventos em 2024, com muitos shows, e também vai participar do movimento de revitalização do centro de SP – uma das iniciativas é o fechamento de parte da Avenida São João ao tráfego de carros aos domingos (a exemplo da Avenida Paulista).

Dica extra para roqueiros antigos

Se quiser esticar o programa e continuar na vibe roqueira, sugerimos ir conhecer também a Woodstock Rock Store que fica a alguns quarteirões da Galeria do Rock. Nos tempos jurássicos pré-internet, a Woodstock costumava ser o ponto de venda de ingressos de muitos dos shows internacionais que aconteciam em SP – o Walcir Chalas, dono da loja e figurinha carimbada nesse meio, conhece todas as maiores bandas e exibe as provas em forma de fotos e histórias, que ele está sempre disposto a contar. Aliás, a sua página do Facebook Woodstock Rock Store está cheia delas!

A loja em si parece mais um museu, de tantas raridades que tem: vinis, CDs, pôsteres, quadros, fotos, cervejas e camisetas da marca própria da loja numa mistura meio caótica, sendo que algumas coisas estão realmente à venda, outras são da coleção particular do Walcir. Daqueles lugares que só existem mesmo em São Paulo!

fachada da Woodstock Rock Store

Reserve sua hospedagem em São Paulo pelo Booking

Booking.com

Este post é parte de uma blogagem coletiva com o tema PASSEIO EM... Mais uma iniciativa do Grupo 8on8, do qual fazemos parte, onde os blogs integrantes desenvolvem um tema comum, ilustrando com apenas 8 fotos e publicando no dia 8 de cada mês. Vale conferir os demais posts!


Salve essa imagem no seu Pinterest

Gostou? Compartilhe!

Planeje sua viagem!

Utilizando os links dos nossos parceiros abaixo, você não paga nada a mais e nos ajuda a continuar produzindo conteúdo bacana e atualizado.

Search

Quem Somos

Somos uma família de 4: eu, Cíntia, engenheira de formação mas que sempre gostei de escrever e viajar; marido, que me acompanha nas viagens desde 2009; e nossos dois malinhas, Letícia e Felipe, atualmente com 14 e 11 anos, que carregamos por todos os lugares desde que ainda estavam na minha barriga.

Fazemos Parte

Siga no Facebook

Siga no Pinterest

Siga no Instagram

Reserve sua hospedagem

Booking.com

Vá de carro

Viaje de ônibus

Reserve tours guiados e transfers

Não viaje sem seguro

Seguro Viagem Geral 2

Ofertas aqui

Compre livros e muito mais

Posts Recentes

Livros para refletir sobre o racismo

No mês da Consciência Negra, alguns livros para refletir sobre o racismo, suas origens e consequências, em tempos e países diversos.

Como é o Olival em Cunha

Como é a visita a um dos lugares mais bonitos de Cunha: o Olival, na serra entre Cunha e Paraty.

Chegou o momento das férias

O período de férias do meio do ano é a oportunidade esperada para um merecido descanso e poder desfrutar de uma pausa que permita se

Museu Hering em Blumenau

Um museu interativo que reúne história, cultura e moda em Blumenau, através da história da Cia. Hering.

Continue entre Mochilas e Malinhas

10 respostas

  1. Que legais suas dicas para visitar a Galeria do Rock em São Paulo. Estive lá uma vez e gostei de perambular pelas lojas, porém se tivesse lido o seu post teria sido muito melhor a experiência. As indicações de lojas facilitam demais o passeio!

  2. Nunca tinha ouvido falar na Galeria do Rock e gostei da vibe, apesar do aviso sobre o bairro. É um passeio bem alternativo em São Paulo. O meu filho também pediu um presente incomum (um salta de pára-quedas). Vai fazer 16 anos

  3. Cintia, viajei no seu post sobre a Galeria do Rock. Eu ia quase que diariamente lá no final dos anos 80, meu irmão inclusive trabalhou na Baratos Afins. Ano passado levei minha filha pra conhecer a Galeria do Rock e acho que está bem diferente, mas muito legal. Ela amou toda a variedade de camisetas, pôsteres e funko Pops!

    Eu não sabia que a Woodstock ainda estava aberta. Sempre me senti uma intrusa ali, entre todos os cabeludos ahaha

    1. Marcia, que legal!! Sim, a Woodstock permanece enquanto o Walcir estiver vivo, eu acho hahaha meu marido quase chorou de emoção quando entrou lá, ele foi muitas vezes comprar ingresso nos anos 90 e achou o máximo poder levar as crianças ali.

  4. Ah esse é um pásseio que eu tô devendo em Sampa! Logo eu que também sou fã de rock! Quero muito conhecer a Galeria do Rock. Não sabia que tinha lojas de produtos licenciados de bandas internacionais lá. Bacana! E ainda encontraram o Lobão!

    Muito legal!!!

  5. Eu gosto de passar na galeria do rock, sempre quando vou ao Municipal de SP: as arquiteturas me fascinam!
    Acabo não comprando nada.. kkk.. mas acho super legal a vibe da galeria e fico observando o movimento do vai e vem das pessoas.
    Já anotei a dica da loja de rock Woodstock

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *