Search

O que fazer na Ilha do Mel (PR): melhores passeios

Conteúdo atualizado em 27 de fevereiro de 2024

A Ilha do Mel, localizada no litoral do estado do Paraná, é um destino turístico muito procurado por conta de suas lindas praias. Por muito tempo foi considerada um destino meio selvagem – água encanada e luz elétrica só chegaram ali em meados da década de 80 – mas hoje é bastante acessível a todos os tipos de turistas. Ainda não é permitida a entrada de carros, mas já há uma boa estrutura de hotéis e pousadas, assim como uma razoável oferta de restaurantes.

A população fixa continua pequena (pouco mais de mil habitantes) mas especialmente no verão e nos feriados a ilha fica cheia de turistas. Dos seus 2700 hectares apenas 200 têm permissão de uso e ocupação, e o restante é reserva ecológica (tombada pelo Patrimônio Histórico em 1975, é administrada pelo Instituto Ambiental do Paraná desde 1982). A ilha tem cinco vilarejos: Fortaleza, Nova Brasília, Farol, Praia Grande e Encantadas. Não há ruas ou estradas, só trilhas. Ah, e outra curiosidade: como a ilha toda é considerada área de preservação ambiental, a negociação de imóveis é proibida por lei. Os moradores possuem apenas concessão do uso dos imóveis (me pergunto como isso deve funcionar na prática, já que vimos várias construções por lá).

Muitos afirmam que as praias da Ilha do Mel são as mais bonitas do estado (e realmente devem ser, visto que o Paraná não tem mesmo praias muito notáveis), mas há todo um charme rústico na ilha ao qual é difícil resistir! A beleza das praias somada a alguns monumentos históricos e à proximidade de outras ilhas garante passeios incríveis para quem ficar alguns dias por lá. E neste post vamos falar exatamente disso: o que fazer na Ilha do Mel e seus melhores passeios.

Praias

Para entender melhor a distribuição das praias na Ilha do Mel é preciso conhecer o seu formato peculiar: ao norte uma parte mais “gordinha” e ao sul, uma mais comprida, ligadas por um istmo (uma faixinha estreita de terra) de apenas 150 metros no seu ponto mais estreito. A maior área é quase 100% reserva ecológica, administrada pelo Instituto Ambiental do Paraná, que é praticamente desabitada, não é permitida a entrada de turistas e há restrição de acesso mesmo às praias.

fonte: https://secultur.paranagua.pr.gov.br/

Por conta de todas essas restrições, a ilha continua bem rústica e as praias praticamente desertas. Nós estivemos lá num final de ano, incluindo o réveillon, e mesmo com um grande afluxo de turistas as praias que conhecemos estavam bem vazias. Aliás, aqui vão duas informações importantes:

  • para chegar às praias pelo meio da ilha é preciso se atentar às placas (que são meio confusas, vale dizer, então não se preocupe se acabar se perdendo e parar em um lugar que não tinha nada a ver com o planejado rsrs);
  • as praias praticamente não têm nenhuma estrutura (com exceção da praia de Fora, onde há aluguel de guarda-sóis e cadeiras, e da praia ao lado da Gruta de Encantadas, que tem alguns quiosques bem improvisados – e que nem devem funcionar fora de temporada). Não há ambulantes nem quiosques fixos, por isso é bom se prevenir levando suas própria comida e bebida.

Como é possível ver no mapa, as praias do Farol, do Istmo e da Fortaleza são praticamente a mesma praia, todas com as mesmas características: planas, extensas e com poucas ondas. Pela proximidade do ponto de desembarque da vila de Nova Brasília, a praia do Istmo e a praia do Farol costumam ter mais gente (daquele jeito Ilha do Mel: sem quiosques ou ambulantes). É também da praia do Istmo que saem os passeios de barco.

nossos modelos exclusivos na Praia do Istmo
praia do Farol
praia da Fortaleza

Do outro lado do Farol fica a Praia de Fora, sem dúvidas a praia mais cheia e uma das mais bonitas (se não a mais bonita) da ilha. É também uma das poucas que dispõe de aluguel de cadeiras e guarda-sóis – e a presença da Pousada Treze Luas (uma das mais charmosinhas da ilha) também garante muitos hóspedes aproveitando a vista e o mar de ondas fortes.

Praia de Fora

Bem pertinho da Praia de Fora fica a Praia Grande, muito conhecida e procurada pelos surfistas, já que é um mar de ondas fortes. É nesta praia também que fica um dos hotéis mais luxuosos da ilha, o Grajagan Surf Resort, que fica a poucos passos do mar e tem também um bom restaurante.

Também virada para o mar aberto fica a praia do Mar de Fora, que fica a poucos minutos de caminhada da Gruta das Encantadas. Muita gente (como nós fizemos) vai até a gruta e depois passa o dia nesta praia, que conta com alguns quiosques. Assim como a Praia Grande, é um destino procurado por surfistas por conta do mar forte.

E finalmente a Praia de Encantadas, ao lado do trapiche de embarque e desembarque da vila, é uma praia bem movimentada, pois além do vai-e-vem dos barcos, há quiosques de todos os tipos (agências de turismo, venda de comida e bebida, lojinhas de souvenirs) à beira-mar. Vale dizer que a vila de Encantadas também é bem mais movimentada que a vila de Brasília, já que ali ficam muitos campings e um comércio mais intenso e variado (lojas, sorveterias, mercadinhos).

Não chegamos a ir nas praias ao lado do cais de Nova Brasília. Apesar de extensas e até bonitas, as águas acabam ficando sujas por causa do número de embarcações que circulam por ali. Preferimos as do outro lado do istmo, que são muito próximas e mais limpas.

Farol das Conchas

Considerado um dos cartões postais da Ilha do Mel, o Farol das Conchas pode ser avistado de diferentes pontos da ilha. Inaugurado em 1872 por D. Pedro II e projetado para ajudar a navegação na Baía de Paranaguá, o farol foi construído do alto do Morro das Conchas, um dos pontos mais altos da ilha.

O acesso à trilha que leva ao Farol fica na praia do Farol – e embora não seja longa, é preciso encarar uma escadaria de 150 degraus para chegar ao topo (a boa notícia é que quando você acha que não aguenta nem mais um degrau, já chegou hahaha). A vista lá de cima é incrível! Dá pra ver direitinho os dois lados da península: de um lado a praia do Farol, do outro a Praia de Fora.

Do lado esquerdo, a Praia de Fora; à direita, a Praia do Farol

Não é permitida a entrada no Farol, mas vale muito a pena subir e apreciar a vista. A dica é: leve água e respire fundo, descanse e tire muitas fotos! Dizem que, com sorte, dá pra ver golfinhos no mar lá embaixo, não custa procurar (nós não vimos nenhum, embora o dia estivesse bem claro).

Gruta de Encantadas

Localizada no sul da Ilha, no vilarejo de Encantadas, a Gruta das Encantadas é aquele tipo de lugar cercado de lendas – as histórias variam um pouco, mas todas giram em torno de lindas sereias que moravam na gruta e encantavam os marinheiros com seu canto, atraindo-os para a morte. Como atração turística é uma grande fenda na rocha, à beira-mar, onde é possível entrar quando a maré está baixa, e que rende fotos lindas: o contraste das pedras com o céu e o mar é sempre bonito.

Gruta das Encantadas

Para chegar na gruta é necessário pegar uma trilha curta (cerca de 15 minutos andando) a partir do vilarejo de Encantadas, e ir seguindo as placas. Chegando próximo à praia há uma passarela de madeira que facilita o acesso em meio às pedras. A prainha em frente à gruta é bem bonita mas com mar muito forte.

Fortaleza

Outro ponto turístico de interesse histórico na Ilha do Mel, a Fortaleza de Nossa Senhora dos Prazeres foi construída entre 1767 e 1769 com o intuito de proteger a Baía de Paranaguá contra invasões estrangeiras. Foi tombada como Patrimônio Histórico Nacional pelo IPHAN em 1972.

Fortaleza de Nossa Senhora dos Prazeres

Considerada como um dos primeiros registros históricos da existência da Ilha do Mel, na prática a Fortaleza foi pouco utilizada militarmente. Com exceção do caso Cormorant, em 1850, quando os canhões foram disparados contra um navio inglês (há várias placas na fortaleza contando a história), e mais tarde, durante a Segunda Guerra Mundial, quando o forte foi aparelhado com novos canhões visando a proteção das fronteiras brasileiras (mas nunca foram usados), a Fortaleza viveu diversos períodos de abandono através dos anos. Atualmente está em processo de reforma e restauração, por isso há várias áreas em obras.

Do interior da Fortaleza é possível fazer a trilha até o topo do Morro da Baleia, onde fica o labirinto de canhões da Segunda Guerra. É um caminho curto mas bem íngreme, e vale a pena subir! Além de render fotos muito bacanas, a vista lá de cima é linda.

A entrada na Fortaleza é gratuita e é possível chegar até lá de barco, a pé ou de bicicleta (quando a maré está baixa). De barco são cerca de 10 minutos do trapiche de Nova Brasília; já andando são cerca de 4 km da vila (foi o que fizemos, é uma caminhada bem tranquila pela praia). Os mais dispostos podem também vir de Encantadas, numa trilha que leva cerca de 2h30.

Passeios de barco

Passeio para avistamento de golfinhos

Um dos passeios mais divulgados e até oferecido como cortesia por algumas pousadas é o que leva à Baía dos Golfinhos – que na verdade não é uma baía exatamente, e sim um trecho da Praia da Fortaleza onde sempre há concentração desses simpáticos bichinhos.

Todas as agências da ilha oferecem esse passeio curtinho (normalmente são de 2 a 3 horas de passeio, dependendo das condições do mar e da quantidade de golfinhos) e eles até fazem piada dizendo que se não houver golfinhos não é preciso pagar o passeio rsrs. Em geral o passeio inclui também a parada na Fortaleza – o que pode ser uma boa opção para quem não quiser ir andando até lá.

dois golfinhos brincando na nossa frente

Volta à ilha

Outro passeio também muito divulgado pelas agências de turismo da Ilha do Mel, o passeio de volta à ilha é bom para quem tem pouco tempo e gostaria de conhecer todos os pontos principais num único dia. As paradas podem variar um pouco dependendo das condições do mar, mas incluem a Fortaleza, Encantadas, o Farol e algumas praias. Nós não chegamos a fazer esse passeio pois passamos 6 dias por lá e pudemos conhecer a ilha com calma.

Passeio até a Ilha das Peças

Bem perto da Ilha do Mel se encontram algumas outras ilhas que valem a pena conhecer. Nós fizemos o passeio até a Ilha das Peças, que fica a cerca de 20 minutos de barco da Ilha do Mel.

A Ilha das Peças é ainda menor e menos populosa que a Ilha do Mel – tem apenas 350 habitantes – mas conta com uma boa oferta de restaurantes, todos concentrados onde param os barcos. Os restaurantes são até bem simpáticos, mas vale alertar que o atendimento deixa a desejar, especialmente nos momentos de pico.

A praia é praticamente uma piscina, sem ondas, perfeita para as crianças. E ainda dá para avistar muitos golfinhos, abundantes por ali – no final da tarde, eles ficaram fazendo graça entre as várias lanchas e jet skis que estavam parados na beira da praia.

Como chegar à llha do Mel

Para chegar à Ilha do Mel é preciso tomar um barco em Pontal do Sul (30 minutos de travessia) ou Paranaguá (1h30 de travessia). Como já mencionado, não é permitida a entrada de veículos na ilha – é preciso deixar o carro em um dos estacionamentos próximos ao cais de embarque.

Nós fomos via Pontal do Sul, onde o intervalo entre as embarcações é de 30 minutos na alta temporada (pode variar ao longo do ano e com as condições do tempo). No cais também há oferta de táxi-boat, caso se queira uma travessia mais particular.

Importante: há dois pontos de parada na Ilha do Mel, Nova Brasília e Encantadas. Antes de comprar a passagem, certifique-se do seu destino.

Onde se hospedar na Ilha do Mel

Como mencionado no início do post, já faz tempo que a Ilha do Mel deixou de ser um destino super rústico e passou a ser somente “meio” rústico rsrs Há uma boa oferta de pousadas com excelente custo-benefício, outras bem simples e algumas poucas mais luxuosas (e esse luxo pode incluir o transporte das suas malas do cais de desembarque até a pousada).

Uma dica que achamos importante compartilhar é que muitas pousadas fazem propaganda da sua proximidade com os cais de desembarque – e isso não é necessariamente uma vantagem, pois no dia-a-dia pode significar ter que andar muito para conhecer todos os pontos turísticos da ilha.

Outro ponto importante na escolha da hospedagem é se a pousada tem um restaurante próprio. Na ilha não há muitos restaurantes “avulsos” e, especialmente à noite, poder jantar onde se está hospedado (e evitando uma caminhada no escuro) é uma grande vantagem. Nós nos hospedamos na Pousada Favo de Mel, que tem um restaurante ótimo, café da manhã delicioso, uma localização boa (perto do cais mas com acesso fácil às praias) e bom custo-benefício.

Encontre sua hospedagem na Ilha do Mel pelo Booking:

Booking.com

Este post é parte de uma blogagem coletiva com o tema O QUE FAZER EM… Vale conferir os demais posts com roteiros incríveis!


Salve essa imagem no seu Pinterest

Gostou? Compartilhe!

Planeje sua viagem!

Utilizando os links dos nossos parceiros abaixo, você não paga nada a mais e nos ajuda a continuar produzindo conteúdo bacana e atualizado.

Search

Quem Somos

Somos uma família de 4: eu, Cíntia, engenheira de formação mas que sempre gostei de escrever e viajar; marido, que me acompanha nas viagens desde 2009; e nossos dois malinhas, Letícia e Felipe, atualmente com 14 e 11 anos, que carregamos por todos os lugares desde que ainda estavam na minha barriga.

Fazemos Parte

Siga no Facebook

Siga no Pinterest

Siga no Instagram

Reserve sua hospedagem

Booking.com

Vá de carro

Viaje de ônibus

Reserve tours guiados e transfers

Não viaje sem seguro

Seguro Viagem Geral 2

Ofertas aqui

Compre livros e muito mais

Posts Recentes

Livros para refletir sobre o racismo

No mês da Consciência Negra, alguns livros para refletir sobre o racismo, suas origens e consequências, em tempos e países diversos.

Como é o Olival em Cunha

Como é a visita a um dos lugares mais bonitos de Cunha: o Olival, na serra entre Cunha e Paraty.

Chegou o momento das férias

O período de férias do meio do ano é a oportunidade esperada para um merecido descanso e poder desfrutar de uma pausa que permita se

Museu Hering em Blumenau

Um museu interativo que reúne história, cultura e moda em Blumenau, através da história da Cia. Hering.

Continue entre Mochilas e Malinhas

15 respostas

  1. Excelentes dicas de o que fazer na Ilha do Mel! Não sabia que havia programas além de praia. A Gruta Encantadas e o Forte pareceram super interessantes. Salvei para o futuro.

  2. Ótimas dicas! Ainda não conheço a Ilha do Mel, mas tenho muita vontade de conhecer. Adoraria ter a sorte de avistar golfinhos também…

  3. A ideia de um destino sem estradas e carros atrai-me bastante. Que maravilha. Imagino como será visitar a ilha do Mel durante a baixa temporada… estou a imaginar-me por ali durante vários meses, a trabalhar com vista para o mar. A ilha tem boa conexão de internet?

  4. Parabéns pelo excelente trabalho. Seu post sobre o que fazer na Ilha do Mel e dicas de passeio, realmente proporcionam uma visão encantadora desta ilha maravilhosa.

  5. Cíntia, parabéns pelo post super completo sobre a Ilha do Mel. Seus malinhas gostam de praias sem ondas? A gente fica super tranquilo, mas em geral as crianças curtem a emoção de pular ondas, né? Quantos lugares lindos, adorei a vista depois dos 150 degraus ehehe.

    E pra se deslocar dos portos até as pousadas, é tudo a pé? Fiquei me imaginando arrastando mala de rodinha por estradas de areia ahaha

    1. Oi Márcia! Pois é, nossos malinhas têm gosto bem específico para o mar: tem que ter ondas, mas não muito fortes. Não gostam de praia de tombo, mas se for muito piscininha também acham sem graça – Perceba que é meio difícil de agradar haha E respondendo à sua outra pergunta: sim, todos os deslocamentos na ilha são a pé, por isso não adianta levar mala de rodinha. A não ser que vc pague alguém para levar num carrinho de mão (nos desembarques sempre tem gente oferecendo) ou que a pousada onde vc vai ficar ofereça o serviço (as mais chiques oferecem).

  6. Que maravilhosa esta ilha, quero muito ir. O conjunto de informações sobre a Ilha do Mel no blog estão ótimas e mais as fotos são um convite a conhecer este lugar lindo!

  7. Estive na Ilha do Mel em meados dos anos 2000. Quanto transformação. Acho que preciso voltar pra tirar a sensação de ilha deserta….rsrs. Muitas atividades e opções de hospedagens. Vou programar uma escapada até lá. 😉

  8. O que vi aqui sobre a Ilha do Mel me surpreendeu, não imaginava que tivesse tanta coisa interessante pra fazer por lá e ainda passeios diversificados. Com certeza rende um final de semana muito legal para toda família.

  9. Que achado esse artigo sobre a Ilha do Mel! As informações sobre sua história e preservação são fascinantes. Mal posso esperar para explorar suas praias e trilhas. Obrigada pela dica incrível!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *