Search

O que fazer em Pipa (RN): Roteiro de 5 dias

Conteúdo atualizado em 11 de março de 2024

A Praia da Pipa é um famoso destino turístico localizado no estado do Rio Grande do Norte, no nordeste do Brasil. Situada a aproximadamente 85 quilômetros ao sul de Natal, a capital do estado, Pipa é conhecida por suas lindas praias e pelas opções gastronômicas.

Essa pequena vila de apenas 6 mil habitantes pertence ao município de Tibau do Sul mas tem vida própria: atrai turistas tanto do Brasil quanto do exterior – em especial argentinos e europeus – e é especialmente popular entre os praticantes de surfe devido às suas praias com boas ondas. Além disso, a região é conhecida por sua diversidade ecológica, abrigando uma grande variedade de animais marinhos, como tartarugas e golfinhos.

Muita gente considera Pipa apenas um passeio bate-volta de Natal, mas nós passamos uma semana por lá e garantimos: há muito para ver e fazer apenas em Pipa, e por um custo bem amigável.

>> Leia também: Onde ficar em Natal? Melhores hotéis e pousadas e roteiro <<

Sobre Pipa e suas origens

Afinal, de onde vem o nome Praia da Pipa? Segundo nos contaram no passeio que fizemos pela região, a origem vem de uma pedra enorme situada no canto esquerdo da praia do Amor (uma das praias de Pipa). A lenda diz que os primeiros portugueses que chegaram ali acharam a imensa rocha parecida com um tonel de vinho – ou pipa, em português de Portugal. Vista da terra ela não é tão arredondada, mas talvez do mar pareça mesma uma “pipa”.

Difícil dizer porque Pipa ficou mais famosa do que o município ao qual pertence, Tibau do Sul. Provavelmente por conta de suas lindas praias e das ondas que começaram a atrair turistas e surfistas, a pequena vila de pescadores cresceu e hoje conta com uma variedade imensa de opções de hospedagem e um roteiro gastronômico famoso – há passeios noturnos, tipo bate-volta, entre Natal e Pipa somente para que os turistas possam experimentar os restaurantes.

centro gastronômico de Pipa

Ah! E não são só turistas paulistas (como nós) e de outras partes do Brasil que são atraídos por Pipa. Vimos muita gente de outras partes do Nordeste e do próprio estado do Rio Grande do Norte, que vão pra lá nos finais de semana. Além de uma legião de argentinos e uruguaios, não só fazendo turismo mas muitos vivendo e trabalhando por ali.

Como chegar e se locomover em Pipa

É possível chegar em Pipa de ônibus, uber, táxi ou carro. Nós voamos de São Paulo até Natal e do aeroporto tomamos um táxi até Pipa – como chegaríamos de madrugada, já acertamos previamente com um taxista indicado pela pousada onde nos hospedamos.

Foi de táxi também que nos locomovemos dentro da vila – embora tenhamos andado muito a pé, para ir às praias mais distantes e ao santuário ecológico utilizamos táxi. Dentro de Pipa, o preço era meio que tabelado: R$ 30 do centro até as praias, R$ 50 ida e volta (preços em julho/2023).

Uma outra opção bacana para famílias é alugar um carro em Natal, pois são pouco mais de 80 km até Pipa (embora com alguns trechos esburacados, o caminho é tranquilo). Só fica o alerta: pode ser bem complicado se locomover na vila. As ruas são precárias, os pedestres se misturam aos carros (pois não há calçadas na maior parte delas), e para chegar em praias mais distantes pode ser necessário um carro 4×4. Mas para famílias maiores ou grupos, ou para quem for esticar a viagem para outros lugares na região, essa pode ser uma boa alternativa – e se esse for o caso, utilize nosso parceiro Rentcars para fazer uma cotação no aluguel do carro.

Vale enfatizar aqui que Pipa não é um local preparado para receber pessoas com dificuldade de locomoção: como já mencionado acima, quase não há calçadas, as ruas são de paralelepípedos, há muitas ladeiras e, devido às falésias, praticamente todos os acessos às praias são por escadas.

O que fazer em Pipa

A vila de Pipa é formada por cinco praias: praia do Amor, praia do Centro, Baía dos Golfinhos, praia do Madeiro e Cacimbinhas – e vale a pena conhecer todas elas! O litoral ali é formado por falésias antes da faixa de areia e muitas pedras, o que forma uma paisagem interessante e um contraste muito bonito de cores.

Além das praias, indicamos também conhecer o Santuário Ecológico, uma reserva de Mata Atlântica que tem algumas trilhas e mirantes incríveis, e é um passeio ainda pouco divulgado por ali.

mapa esquemático das praias de Pipa

Além de conhecer todas as praias, para quem for ficar mais dias em Pipa recomendamos fazer um passeio de 4×4 que inclui Sibaúma e Cunhaú – em um dia é possível conhecer os arredores de Pipa e saber um pouco mais sobre a região. Esse passeio é oferecido por muitas agências e é bem fácil de encontrar (basta andar um pouco pela rua principal e já aparecem várias pessoas oferecendo). Nós contratamos através de indicação da pousada onde ficamos e foi ótimo.

passeio de 4×4 em Pipa

Roteiro de 5 dias em Pipa

A nossa sugestão para um roteiro de 5 dias em Pipa é:

  1. Praia do Centro + Baía dos Golfinhos
  2. Praia do Amor
  3. Santuário Ecológico + Praia do Madeiro
  4. Praia de Cacimbinhas
  5. Passeio de 4×4

Para quem se hospeda perto do centro da vila, se locomover a pé ou de táxi pelas praias é bem fácil pois as distâncias não são longas. Também é perfeitamente possível conhecer mais de uma praia no mesmo dia – nossa sugestão de roteiro vale para quem quer aproveitar as praias com calma e terá mais tempo na cidade. Vale enfatizar que o acesso às praias de Pipa depende da maré: na maré cheia, nem sempre é possível passar de uma praia para outra andando, por isso é importante se atentar para esse detalhe na hora de programar os passeios do dia.

Agora vamos falar um pouco mais detalhadamente das praias e dos passeios de Pipa.

Praia do Centro

É a praia mais movimentada e estruturada de Pipa, com muitas barracas e restaurantes à beira-mar, e também é de onde saem os passeios de barco. A faixa de areia não é muito larga (especialmente na maré alta) e o mar é calmo, mas o assédio de vendedores, barqueiros e agentes de viagem é grande, principalmente próximo à Praça do Pescador.

Seguindo pelo lado direito, sentido Praia do Amor, há uma área bem bonita onde uma passarela de madeira permite uma visão incrível, especialmente no pôr-do-sol. Mas nem de longe é a praia mais bonita, por isso ficamos bem pouco nela.

praia do Centro na maré baixa

Praia do Amor

Localizada à direita da Praia do Centro, a Praia do Amor é uma das mais famosas em Pipa por atrair muitos adeptos do surfe. É possível chegar nela caminhando a partir do centro, se a maré estiver baixa, ou seguir pela rua principal e pegar o acesso via escadas. A praia ganhou esse nome por ter um formato de coração, quando vista de cima – mas na verdade seu nome original é Praia dos Afogados, por conta do mar forte e das pedras.

A praia conta com muitas barracas (e muito assédio dos vendedores) e é super bem estruturada. O mar é forte e com muitas ondas, e há várias placas avisando dos riscos em alguns pontos – não à toa é a preferida da turma do surfe. Também é fácil encontrar aluguel de pranchas e aulas de surfe.

Seguindo-se à direita, o mar fica mais calmo e a maré baixa forma algumas piscinas naturais em meio às pedras. Também é no extremo direito que ficam a famosa pedra em formato de Pipa e o conhecido Chapadão – muita gente vai até lá, em cima das falésias, para ver o pôr-do-sol. A vista lá de cima é mesmo incrível!

pedra da Pipa e Chapadão

Baía dos Golfinhos

Seguindo à esquerda da Praia do Centro e andando um pouco, chega-se à linda Baía dos Golfinhos – que como o próprio nome já denuncia, é um ponto de encontro desses animados e saltitantes animaizinhos! A praia é muito sossegada e conta com algumas barracas, e especialmente na parte da manhã é possível ver muitos golfinhos, que volta em meia dão o ar da graça.

Baía dos Golfinhos

É uma praia perfeita para as crianças, que podem ficar bem à vontade e ainda se encantam com a possibilidade de poder nadar perto dos golfinhos – e sim, eles nadam mais no fundo mas alguns se aventuram até o raso! No período da manhã saem alguns passeios de barco da praia do Centro com o objetivo de levar os turistas até bem perto dos golfinhos, mas sinceramente não achamos necessário. Além de ter que contar com a sorte do horário do passeio coincidir com a presença dos bichinhos, nem é preciso ir tão no meio do mar para vê-los.

Lembrando sempre que é preciso se informar sobre a tábua de marés para passar de uma praia para outra! Embora a Baía dos Golfinhos seja bem próxima à praia do Centro, é preciso que a maré esteja baixa para poder atravessar esse trecho de pedras, que separa uma praia da outra. O contraste das falésias, das pedras e do mar é lindo e rende ótimas fotos!

Praia do Madeiro

Localizada ao lado da Baía dos Golfinhos, a Praia do Madeiro também recebe a visita dos golfinhos mas é bem mais estruturada que a sua vizinha: há muitas opções de barracas e de aluguel de pranchas, visto que ali o mar tem mais ondas e também atrai surfistas.

Praia do Madeiro – tinha um golfinho ali, juro!

É uma praia deliciosa e bastante procurada pelos turistas, mas como o mar é mais forte é preciso atenção com as crianças. Mesmo assim nossos malinhas amaram e se divertiram a valer – gostamos tanto dessa praia que foi a única que repetimos.

praia do Madeiro

Há dois acessos para a Praia do Madeiro além da praia, o que facilita chegar lá (ou ir embora) independente das marés. Mas vale a pena voltar andando no fim de tarde e ir apreciando o pôr-do-sol, é lindo de ver! Mas vale o aviso que, mesmo com a maré bem baixa, atravessar as pedras que separam a Praia do Madero da Baía dos Golfinhos é meio chatinho e requer bastante atenção.

Praia de Cacimbinhas

A próxima (e última) praia depois da praia do Madeiro é Cacimbinhas – um oásis de sossego para quem realmente quer descansar. Com acesso fácil pela rua (se considerarmos fácil uma escadaria de pedra de uns 100 degraus – mas comparada com os acessos das outras praias, esse é muito bom), a praia conta com apenas uma barraca, mas totalmente estruturada com banheiros e restaurante.

Achamos uma injustiça essa praia ser tão pouco conhecida, pois é linda! Areia branquinha e uma extensão enorme de praia para caminhar sem encontrar ninguém. Para ser perfeita faltava só o mar ser um pouquinho mais calmo rsrs vale ter atenção com o mar pois a correnteza e as ondas são bem fortes.

Santuário Ecológico de Pipa

Apesar de ser um passeio pouco conhecido e divulgado em Pipa, recomendamos muito incluir o Santuário Ecológico no roteiro. Trata-se de uma reserva de 90 hectares de mata atlântica beirando o mar, com trilhas (bem fáceis, vale dizer) que levam a mirantes incríveis – para saber mais, indicamos seguir a página do santuário no IG: @santuarioecopipa.

Quem escolher explorar todas as trilhas irá andar cerca de 5 km – na entrada é fornecido um mapinha com todas elas e uma breve explicação dos principais mirantes. Há também mapas em diversos pontos das trilhas, que ajudam os turistas a se localizar. Como o parque segue praticamente beirando o mar, é possível ver quase todas as praias de Pipa a partir dos mirantes.

Outro ponto importante do santuário é que ele abriga uma estação do Projeto Tamar – Pipa tem vários pontos de desova de tartarugas e é a partir dessa estação que os voluntários acompanham todo o processo. Ali também ficam voluntários que dão uma breve explicação sobre as principais espécies de tartarugas que habitam nosso litoral e cuja desova é acompanhada pelo Tamar.

A partir do espaço do projeto Tamar é possível acessar a Praia do Madeiro, e foi isso que fizemos: fomos de táxi até a portaria do Santuário Ecológico, fizemos as trilhas e conhecemos o projeto, descemos até a praia pelas escadas (meio precárias, vale avisar) e passamos o dia por ali. No fim da tarde seguimos andando pela praia, atravessando a Baía dos Golfinhos, até a praia do centro, uma vez que a maré estava baixa. Recomendamos muito fazer esse passeio!

Passeio de jipe em um dia

Há muitas opções de passeios em Pipa, e nós escolhemos fazer um dos mais completos, de um dia todo, que permite conhecer um pouco dos arredores.

O roteiro do passeio incluiu uma parada no Chapadão, onde pudemos ver a Praia do Amor e soubemos a razão da vila ser chamada de Pipa; outra parada nas falésias em Sibaúma, onde pudemos ver tartarugas nadando; depois cruzamos o rio Cunhaú de balsa, com parada nas piscinas naturais; outra parada para sandboard nas dunas de Cacimbinhas; e como última parada, o pôr-do-sol na lagoa Guaraíras.

Falando assim parece muita coisa – e até é mesmo, são muitas paradas – mas não é cansativo e vale a pena, conforme dá pra ver nas fotos abaixo.

Onde se hospedar em Pipa

Pipa tem uma infinidade de opções de hospedagem, desde as mais simples até mais luxuosas, para todos os gostos e bolsos. Nós seguimos nosso próprio exemplo e consultamos muitos sites e blogs de viagem até encontrar uma opção que nos atendesse: escolhemos a Vila Alemã. Nesta postagem do Instagram contamos um pouco sobre essa escolha:

Localizada próxima ao centro da vila, com ótimos atendimento e custo/benefício, além de uma área comum muito bonita e quarto amplo que nos acomodou bem – em resumo, uma ótima escolha, como dá pra ver nas fotos. O chalé onde ficamos tinha cozinha e uma varanda grande, e no café da manhã tivemos até visita dos pequenos saguis que passeiam pelas árvores. Adoramos!

Para quem estiver sem carro, o mais recomendado é se hospedar próximo ao centro, como fizemos: isso facilita muito a locomoção entre as praias e a hora das refeições, já que a grande maioria dos restaurantes (e do comércio em geral) se localiza na rua principal e seu entorno. O mapa abaixo facilita a pesquisa.

Booking.com

Reserve visitas guiadas, excursões e transfers na Praia da Pipa pelo nosso parceiro Civitatis.


Este post é parte de uma blogagem coletiva com o tema ROTEIRO. Vale conferir os demais posts com roteiros incríveis!


Salve essa imagem no seu Pinterest

Gostou? Compartilhe!

Planeje sua viagem!

Utilizando os links dos nossos parceiros abaixo, você não paga nada a mais e nos ajuda a continuar produzindo conteúdo bacana e atualizado.

Search

Quem Somos

Somos uma família de 4: eu, Cíntia, engenheira de formação mas que sempre gostei de escrever e viajar; marido, que me acompanha nas viagens desde 2009; e nossos dois malinhas, Letícia e Felipe, atualmente com 14 e 11 anos, que carregamos por todos os lugares desde que ainda estavam na minha barriga.

Fazemos Parte

Siga no Facebook

Siga no Pinterest

Siga no Instagram

Reserve sua hospedagem

Booking.com

Vá de carro

Viaje de ônibus

Reserve tours guiados e transfers

Não viaje sem seguro

Seguro Viagem Geral 2

Ofertas aqui

Compre livros e muito mais

Posts Recentes

Livros para refletir sobre o racismo

No mês da Consciência Negra, alguns livros para refletir sobre o racismo, suas origens e consequências, em tempos e países diversos.

Como é o Olival em Cunha

Como é a visita a um dos lugares mais bonitos de Cunha: o Olival, na serra entre Cunha e Paraty.

Continue entre Mochilas e Malinhas

16 respostas

  1. Em geral, aqueles lugares que a grande maioria dos turistas faz bate e volta merecem dias a mais. Sair do óbvio, aproveitar com calma como o roteiro de vocês em Pipa. Ainda não conheço mas tá nos planos, especialmente as praias mais vazias que vocês foram!

  2. Que blog atraente….viajei para Pipa que quero conhecer, que praias divinas e AMOR é mais que o nome de uma dessas belezas deslumbrantes da natureza. Quero um teletransporte. Amei as dicas, fotos, lindas!

  3. Adorei as dicas de o que fazer em Pipa RN e o seu roteiro. A região é linda, as praias maravilhosas!!! Está no meu radar visitar a região e salvei o post para o futuro 🙂

  4. Que maravilha de lugar!! Não conheço quase nada do Nordeste e tenho muita vontade de ir pra Natal, agora sabendo de Pipa a viagem ficou ainda melhor!! Obrigada pelas dicas

  5. Pipa é minha praia favorita no Brasil. Seu roteiro ficou bem parecido com o que fiz na cidade, conseguiu conhecer o que há de melhor e mais belo. Boas dicas.

  6. Cíntia, que legal ver Pipa por aqui. Fui em bate e volta, na minha lua de mel ahaha, faz tempo, está tudo mudado, claro. Não sabia que tinha Projeto Tamar, eu adoro e sempre que vou a uma praia que tem faço uma visita, mesmo sem crianças, para apoiar.

  7. Sabe que eu conheço muito pouco a região nordeste do país e acho que tenho que conhecer mais. Adorei esse roteiro que você preparou com o que fazer em Pipa. Quanto lugar lindo! E deve ser um ótimo destino para curtir com a família!

  8. Ah, Pipa é um sonho! Foi minha primeira viagem junto com o maridão, logo no comecinho do namoro! Foi tão romântico! Seu post sobre o que fazer em Pipa me fez relembrar esses dias mágicos! Obrigada por compartilhar!

  9. Pelo visto Pipa merece alguns dias! Eu ainda não conheço este destino e achei seu roteiro com dicas do que fazer em Pipa muito interessante. Quando ouvi falar sobre a Baía dos Golfinhos pela primeira vez, fiquei com muita vontade de conhecer! Com certeza seguirei suas dicas quando tiver oportunidade!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *